Com camisa 3×1 sem camisa

Por Rodrigo de Souza – @guinhosouza

Edição: Rodrigo de Souza

“Pelada: s.f. Futebol. Partida entre meninos ou rapazes descalços, jogada em terrenos baldios, ruas, praças ou praias. / P. ext. e Pej. Qualquer jogo de futebol pobre de técnica” – Dicionário Aurélio.

Santos e Juan Aurich-PER estrelaram um dos jogos mais mal organizados da Copa Libertadores 2012. Acostumados com partidas com bom volume tático e grandes espetáculos de torcidas, os amantes do bom futebol (leia-se: eu) acabaram se decepcionando com a partida válida pela terceira rodada do Grupo 1 da competição.

O principal problema fica por conta do gramado: o campo sintético e reduzido fez com que o jogo parecesse uma verdadeira pelada entre amigos, com aglomeração de jogadores em quase todas as jogadas e com a bola pingando mais que o normal – dificultando para goleiros e zagueiros.

É inadmissível que uma instituição do tamanho da Conmebol permita que uma partida de Taça Libertadores, principal competição da América Latina, seja realizada em um estádio com as condições do jogo de hoje. As jogadas simplesmente não se desenvolvem! Graças à esperteza da instituição, jogadas de bola parada foram essenciais na definição do placar.

Santos – arroz com feijão

Fucile (d) comemora mais um gol com a camisa santista

Mesmo com a vitória parcial por 2×1, todos os entrevistados do time alvinegro, no intervalo da partida, comentaram da dificuldade de jogar no gramado. No entanto o time fez o que pode com as adversidades e, com mais uma bela atuação de Ganso e Fucile, bateu sem dificuldades o adversário mais fácil da competição – até o momento. O camisa 10 santista acertou mais um de seus passes brilhantes e, de quebra, ainda guardou o seu, em bela cobrança de falta. Já é o quinto jogo consecutivo que o meia se destaca pela atuação em campo.

A equipe não mostrou um volume de jogo muito convincente, mas ficou claro que as jogadas não saíram pelo medo de falharem devido ao gramado, principalmente em passes aéreos (que acabaram dando errado quando a bola pingava). O básico foi feito mais uma vez e o time saiu com a vitória. Aliás, parece que o Peixe volta a ter uma característica do time de 2010: só joga quando é preciso jogar. Só ganha quando é preciso ganhar.

Juan Aurich – catado de final de semana

O time seria facilmente rebaixado se disputasse o campeonato catarinense ou alguma competição do mesmo nível.  A equipe joga todas as fichas em uma única tática: fazer a “pelota” pingar próximo ao goleiro adversário para que, sem o tempo de bola do gramado artificial, rebata no pé do atacante, que já espera por isso (apesar da jogada do gol não ter nascido com essa estratégia).

No mais, a equipe peruana é fraquíssima e depende única e exclusivamente da ajuda do gramado para tentar assustar o adversário. Qualquer jogador de pelada de fim de semana cairia bem no time (aliás, deveriam investir nisso… quem sabe). Não é a toa que já está eliminado da competição, com três derrotas em três jogos.

Exemplo de jogadores que poderiam ser contratados pelo Juan Aurich

Obs.: a transmissão da Taça Libertadores pela Fox Sports é horrível. Se uma emissora de televisão se propõe a cobrir uma competição desse nível com exclusividade, é preciso que tenha qualidade para isso. Comentários inoportunos e totalmente errôneos acontecem com frequência, principalmente em situações táticas.

Imagens: Santosfc.com.br e arquivo

About Rodrigo de Souza

Imparcialidade não é aqui, chefe.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: