“Que isso, Comissão Atlética, que isso?”

Posted on

Por Raphael Gierez – @justphael

 Edição: Rodrigo de Souza – @guinhosouza

As coisas na Austrália não saíram como o UFC planejava. Mas hein: o que você esperaria daquela parte do mundo onde canguru é “igual” cachorro e Natalie Imbruglia é conhecida como atriz e não como apenas “aquela gostosinha que gravou uns clipes” ?

Agora, passando o momento Tiago Leifert (onde piadas sem graças tem mais espaço que informação) vamos ao que interessyaa. Melhores, piores e “tal e coisa e coisa e tal”.

Maior vencedor: Joseph Benavidez

O homem, considerado por muitos como o rei sem coroa, debutou no UFC na recém criada categoria dos moscas, mostrou porque era infinitamente favorito sobre Yasuhiro Urushitani e no segundo round nocauteou o japonês. Ele não apenas garantiu sua passagem para a disputa do cinturão como provou que o peso mosca também é capaz de proporcionar grandes nocautes, o que sempre é discutido entre as categorias mais leves do UFC. Apesar da bela apresentação, é uma pena ver que o adversário dele na disputa pelo cinturão não foi decidido devido a uma incrível desorganização da comissão atlética do evento. Lembrando que a comissão atlética não é ligada diretamente ao UFC, ou seja: Dana White, desta vez, não teve culpa.


Benavidez comemorando a vitória. Title-Shot está garantido, o adversário ainda não.

Maior derrotado: Craig Weller, chefe da Comissão Atlética de New South Wales, Austrália

Craig, por própria decisão, não contabilizou uma das scorecards (Papel onde os juízes apontam a pontuação dos lutadores) após a luta entre Ian McCall e Demetrius Johnson. Isso levou Demetrius Johnson ser considerado vencedor da luta (o que não foi), em vez do empate (que realmente aconteceu). Normalmente, isso não seria grande coisa, mas essa luta definiria quem enfrentaria Benavidez na disputa pelo cinturão, ou seja: sem vitória, ficamos sem luta pelo título definida.

É para evitar isso que o UFC planejou – se necessário – um quarto round “morte súbita” onde o vencedor desse round decisivo, seria o vencedor do embate. A solução estava lá, todos os resultados possíveis tinham sido levados em conta, mas a incapacidade de um homem olhar os números e fazer uma simples operação matemática acabou por comprometer tudo.

Sério, como você, Craig Weller, pode fazer isso? É tão difícil pegar os papéis dos juízes, analisa-los rapidamente e entregar pro Bruce Buffer anunciar o vencedor da luta? Só existia uma maneira de foder tudo, e o “jênio” Weller conseguiu.

Ao menos McCall e Johnson terão outra oportunidade para resolver essa questão e finalmente saber quem é o postulante ao título. Considerando o quão bom foram os três rounds da luta, não podemos reclamar por ver mais um pouco os dois em ação, mesmo sendo nessas condições lamentáveis. Só, por favor, da próxima vez a Comissão Atlética poderia escolher como comissário alguém que tenha ao menos terminado o Ensino Fundamental.

Maior erro tático da noite: Thiago Alves

Cerca de três anos atrás eu tomei um frango, um cabeceio da intermediária – que achei que iria pra fora e acabou entrando – e eu ainda penso nisso, às vezes. Era um jogo que levaria a gente para as semifinais de um torneio importante, e esse gol desestabilizou a equipe. Até hoje rolo na cama pensando nesta besteira e nas consequências que isso teve. É estúpido, mas é verdade. Confesso a vocês isso porque se um simples erro em um simples jogo de futebol infantil já me atormenta tanto, imaginem como anda a cabeça de Thiago Alves após o seu erro no maior evento mundial de lutas contra Martin Kampmann ?

Tudo que Thiago Alves tinha de fazer era se cuidar nos instantes finais. E foi tudo que Thiago não fez. A pior parte para o brasileiro é que ele vinha ganhando a luta, e possivelmente – se a Comissão Atlética não aprontasse novamente – venceria a luta por decisão unânime. No entanto isso não aconteceu e ele acabou pego em uma guilhotina, no minuto final. Na parte mais importante da batalha ele foi mal, e é justamente essa pequena parte que ele levará o resto da vida pensando.


Momento final da derrota de Thiago Alves. O brasileiro lembrará desse momento para sempre

Imagens: Globo.com e Veja.Abril.com.br

About @justphael

Aspirante a jornalista, brisado por natureza, pseudo-hardcore, iludido e corneiteiro, THAT'S ME.

One response »

  1. Thiagoalvar virará verbo para falhas desportivas… Como pode!

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: