PRFA: back to football!

Campeonato Paranaense de Futebol Americano chega à quarta edição e se consolida como o melhor estadual do país

Por Rodrigo de Souza – @guinhosouza

Editado por Rodrigo de Souza

            O Campeonato Paranaense de Futebol Americano está de volta. A quarta edição do PRFA começa sábado, dia três de março, com o jogo entre Foz do Iguaçu Black Sharks x Curitiba Brown Spiders, na cidade de Foz do Iguaçu. A primeira rodada continua no domingo, com Ponta Grossa Phantoms x Curitiba Hurricanes, em Ponta Grossa, e Curitiba Predadores x UPFR Legends, na capital.

            Atualmente o Campeonato Paranaense de FA é a competição estadual da modalidade com maior nível técnico do país, devido ao bom número de equipes e ao desempenho delas em competições estaduais. Outro favor que, indiretamente, acabou consolidando o PRFA como melhor estadual do Brasil foi o “racha” da última quinta-feira (01/03) na Liga Paulista de Futebol Americano (LPFA), que tinha tudo para se tornar uma competição extremamente bem estruturada. Na ocasião, oito clubes não se entenderam com a presidência da Federação e decidiram se afastar da LPFA. Com isso, o Paranaense torna-se a competição estadual com maior número de equipes.

Ponta Grossa Phantoms (direita) e Curitiba Hurricanes jogam no domingo

O presidente da FPFA, Adan Rodriguez, afirmou que o campeonato vem evoluindo tanto dentro quanto fora de campo. “O nível técnico e tático das equipes aumentaram e o público vem acompanhando cada vez mais o esporte, seja na capital ou no interior”, ressalta. Adan ainda diz que a FPFA tem o objetivo de difundir mais e mais o futebol americano no estado, e completa deixando um recado ao público: “convido a todos para prestigiarem a 4ª edição do Campeonato Paranaense de Futebol Americano!”.

Bonde do Croco sem freio

            O Coritiba Crocodiles, sem sombra de dúvidas, é o time a ser batido no Paranaense 2012. Tricampeão estadual, o Croco está invicto no campeonato desde o dia 1º de maio de 2010, quando perdeu para o Foz do Iguaçu Black Sharks por 12 a 7, pela terceira rodada do estadual daquele ano. Além disso, o time do Coxa só perdeu um jogo em 2011: o Brasil Bowl II (contra o Fluminense Imperadores, por 14 a 7).

            Com sete atletas na última convocação para a seleção, o Crocodiles entra no campeonato tentando se manter como o único time a vencer um Paraná Bowl. Destaque para a defesa da equipe, que em 2011 sofreu apenas 107 pontos em 15 partidas (média de 7,1 pontos por jogo). No ataque, destaque para as escapadas do RB #23 Bruno Santucci, atleta da seleção e autor de três TDs na ‘temporada regular’ do estadual de 2011.

Brown Spiders tenta acabar com fama de freguês

            O ano de 2011 não fui muito bom para o Curitiba Brown Spiders, se tratando do clássico contra o maior rival – Coritiba Crocodiles. No ano passado, o Spiders perdeu os quatro jogos disputados contra o Croco (20×10, 14×7, 36×6 e 20×4). Atual vice-campeã, a equipe do Brown Spiders entra no estadual tentando não cometer os mesmos erros que tiraram o título no ano passado: o time só perdeu para o Crocodiles no estadual de 2011.

            Para conquistar o Paranaense, o Brown Spiders aposta todas as fichas na força do elenco, principalmente nas corridas do RB #37 Taurus, principal pontuador do estadual de 2011, marcando 8 Touchdowns e ainda anotando uma conversão de dois pontos, em um total de 50 pontos no campeonato.

Como furar a Muralha Azul?

            O Curitiba Hurricanes busca recuperação da atual fase que vem passando, após não conseguir a classificação para os playoffs no Torneio Touchdown (TTD) do ano passado (apesar de cair em uma conferência relativamente complicada na competição). No estadual de 2011, a equipe terminou com a medalha de bronze, após vencer o Foz do Iguaçu Black Sharks por 23×14 na disputa pelo terceiro lugar.

            Para alcançar a reabilitação, o Hurricanes conta com a defesa conhecida por Muralha Azul. Comandada pela dupla da seleção brasileira – CB #37 Bala e DL #69 Gotinha – a defesa do time começa com a difícil missão de parar o Ponta Grossa Phantoms, fora de casa.

Predadores tenta dar continuidade a trabalho do final de 2011

            Após um início de temporada (e de trabalho!) não muito convincente, o Curitiba Predadores começou uma reformulação total para a disputa do TTD’11. Com a chegada do head-coach Paul Granero (americano, da cidade de Houston), a equipe mostrou mudanças significativas e acabou a temporada 2011 com três vitórias nos três últimos jogos (duas no TTD e uma em amistoso).

            Além de Paul Granero, o Predadores chega para o estadual desse ano com a força da comissão técnica, auxiliada por Carlitos (coord. de defesa) e Diego Chower (coord. de ataque). O Predadores, caçula em 2011, inicia o campeonato contra o UFPR Legends, estreante de 2012.

Black Sharks: distância é principal problema para equipe

            O Foz do Iguaçu Black Sharks é o time mais prejudicado pela centralização Curitiba-PG do futebol americano no estado. Com três jogos fora, a equipe precisa se deslocar mais de 1.900km para atuar longe de casa, enquanto os outros times se deslocam, no máximo, 760km.

No entanto o Black Sharks tem alguns pontos que podem, de certa forma, anular o cansaço da viagem. Um deles é o bom equilíbrio entre ataque e defesa: os adversários devem ficar alertas com escapadas do QB #10 Yuri – que no estadual de 2011 anotou dois TDs de corrida – e com o LB #56 Ludwig, da seleção brasileira.

Quem tem medo de fantasma?

            O Ponta Grossa Phantoms entra no campeonato paranaense buscando consolidar a boa fase do segundo semestre de 2011, quando garantiu vaga nos playoffs do Torneio Touchdown pela primeira vez, após passar por uma reformulação total na equipe durante o primeiro semestre. Naquela ocasião, o Phantoms ficou com a terceira posição da conferência Walter Camp, conquistando espaço no wildcard.

            Em fase final de reformas, a equipe busca bons jogos dentro de casa, já que faz as três últimas partidas da primeira fase do estadual em campos adversários. Para isso, conta com as boas atuações do safety #10 Rocha e com a experiência do coordenador técnico da seleção brasileira, Allan Meister (HC da equipe).

Estreante, Legends busca experiência em primeira competição oficial

            Com apenas seis meses de exstência, o UFPR Legends aceita o desafio de já iniciar em competições estaduais de grande qualidade técnica. A equipe decidiu buscar experiência no esporte da melhor forma, de acordo com especialistas: jogando.  O Legends é mais um time da cidade de Curitiba, mas tem esse nome porque recebe incentivos da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

            A equipe, formada por jovens atletas, já começou a apresentar resultados em dezembro: seis jogadores iniciaram treinamento com a camisa da seleção paranaense sub-19. São eles: o safety Sérgio, os DEs #70 Kamagaku e Eric Ronaldo, o CB #32 A. Kvas, o QB Vitor Taborda e o RB Bob Rangel.

Coritiba Crocodiles busca o tetracampeonato da competição

Clique aqui e confira a tabela completa do Campeonato Paranaense de Futebol Americano de 2012! A equipe do Focas Esporte Clube acompanhará de perto todos os jogos possíveis da maior competição da bola oval paranaense e trará todos os detalhes para você!

Imagens: Eder Traskini / divulgação

About Rodrigo de Souza

Imparcialidade não é aqui, chefe.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: