Fim da linha para o Fantasma

Phantoms joga bem, mas toma virada e se despede do Campeonato Paranaense sem nenhuma vitória; Foco agora é o Torneio Touchdown

Ataque do Curitiba Hurricanes se prepara para mais uma tentativa de descida

O Ponta Grossa Phantoms recebeu o Curitiba Hurricanes na tarde do último domingo (29/05) e perdeu pelo placar de 14 a 12. O jogo aconteceu no Olinda Esporte Clube e foi válido pela 6ª rodada do Campeonato Paranaense de Futebol Americano. A equipe da capital viajou até os Campos Gerais buscando uma vitória para se manter viva na disputa pelo título. Já o time da casa não tinha mais pretensões no campeonato, mas queria fechar a participação com uma vitória, frente ao bom público presente no local. O Phantoms jogou com Ribas #28 de quarterback e deu oportunidade para alguns calouros da equipe mostrarem serviço, já que o jogo não valia mais nada. A equipe de Ponta Grossa também homenageou o jogador Santa Paula, que se machucou na última rodada, contra o Crocodiles: a equipe entrou em campo com uma faixa branca no braço, além de gritar o nome do jogador antes do início da partida. O jogador Coléti, do Phantoms, jogou a partida com a camisa do homenageado.

O jogo atrasou cerca de uma hora e quinze minutos, pois a arbitragem deslocava-se de Curitiba, onde apitara o confronto entre Curitiba Brown Spiders e Curitiba Predadores (Spiders venceu pelo placar de 61 a 0). Com a chegada dos juízes, o kickoff foi dado pelo Hurricanes e o retornador do Phantoms, Camacho #88, conseguiu correr até a linha de 45 jardas de defesa, atingindo um bom avanço.

O jogo estava parado, com as duas defesas trabalhando bem. Tanto que o primeiro first down da partida só veio com quase 10 minutos de jogo – deixando a equipe do Hurri na linha de 19 jardas de ataque. Na sequência, já no segundo quarto, o time da capital não conseguiu avanço e tentou um field goal de 31 jardas com o kicker #1 Jimmy, também sem sucesso.

O RB Rocha #10 (centro) foi o nome da partida

A defesa do Phantoms trabalhava bem com os cornerbacks, principalmente impedindo os passes aéreo-laterais do Hurricanes. Quando o jogo parecia morno, o running back do Phantoms, #10 Rocha, conseguiu avançar, em duas descidas, cerca de 19 jardas, levantando a torcida no Olinda Esporte Clube. O running back conseguiu mais um pequeno avanço pelo meio, atingindo o segundo first down consecutivo da equipe de Ponta Grossa. A próxima descida consagrou o jogador, que já atuava bem em jogos anteriores: uma corrida lateral de quase 50 jardas até a end zone. Touchdown para o Ponta Grossa Phantoms, o primeiro ponto de ataque em toda a competição. O time da casa abre o placar na tarde de domingo: Ponta Grossa Phantoms 6×0 Curitiba Hurricanes.

            Na tentativa de ponto extra, um lance raro: o chute na tentativa de xp, do kicker Caco #87, foi interceptado pelo defensive end Hicaro #35, do Curitiba Hurricanes, que correu todo o campo e marcou dois pontos para sua equipe em um “retorno de ponto extra”, segundo o presidente da Federação Paranaense de Futebol Americano (FPFA), Adan Rodriguez.  A jogada diminuiu a vantagem da equipe da casa: Ponta Grossa Phantoms 6×2 Curitiba Hurricanes. O lance, difícil de acontecer, já havia ocorrido no ano passado – com o mesmo Hurricanes, inclusive – no Torneio Touchdown. Na ocasião, o time enfrentou o Jaraguá Breakers, de Santa Catarina, e o cornerback César #83 foi o autor da “façanha”.

Final do primeiro tempo em Ponta Grossa. No intervalo alguns integrantes da Torcida Sangue Azul, do Hurricanes, já irritados com atitudes de um torcedor ponta-grossense no local, pediu que os integrantes da FPFA presentes tomassem providências sobre o assunto, já que o torcedor chegou até a invadir o gramado no intervalo da partida. O clima nas arquibancadas não era dos melhores, infelizmente. Adan afirmou para a Torcida Sangue Azul que a FPFA iria rever o acontecido, em parceria com a diretoria do Phantoms, e tomar as devidas providências.

O Hurricanes voltou com tudo do intervalo: o retorno do kickoff parou na linha de 40 jardas de defesa. Após algumas descidas, o running back Bala #29 chegou à end zone com uma bela corrida lateral, quebrando os tackles da defesa do Phantoms. Touchdown para o Hurri, que vira o placar: Ponta Grossa Phantoms 6×8 Curitiba Hurricanes. A tentativa de conversão de dois pontos não teve sucesso.

Logo em seguida, após retorno de Camacho #88 parar na linha de 40 jardas de defesa da equipe do Phantoms e sem avanço nas duas próximas descidas, o quarterback Ribas #28 foi interceptado na linha de 30 jardas de ataque do Hurricanes. Na terceira tentativa de descida do time da capital, César #83 conseguiu uma bela corrida até a end zone, ampliando a vantagem do Hurri: Ponta Grossa Phantoms 6×14 Curitiba Hurricanes. O ponto extra não foi convertido pelo kicker Jimmy #1.

Já no último quarto de partida, um vacilo do special team do Hurricanes fez com que a partida pegasse fogo. Sem conseguir avanços, o Ponta Grossa Phantoms devolveu a bola ao Hurricanes com o punter # 87 Caco. Esperando um touchback, o Hurricanes protegeu a bola, ainda em movimento, para que ela entraase na end zone. No entanto a bola acabou tocando no pé do defensor, o que a colocou em jogo, caracterizando um fumble. O special team do Phantoms se jogou na bola e conseguiu recuperá-la na linha de 13 jardas de ataque. Na 3&10 (terceira descida para 10 jardas) do Phantoms, o quarterback Ribas #28 encontrou o wide receiver #20 Coléti dentro da end zone, que agarrou a bola e marcou um belo touchdown aéreo. A vantagem do Hurricanes diminuiu: Ponta Grossa Phantoms 12×14 Curitiba Hurricanes. Na chance de empatar o placar, a tentativa de conversão de dois pontos pelo Phantoms não foi realizada com sucesso.

O time do Hurricanes sentiu a pressão, mas conseguiu segurar o ataque do Phantoms pelo restante do último quarto e venceu a partida. Agora a equipe precisa vencer o Coritiba Crocodiles com um placar de 24 pontos de vantagem para continuar na luta pelo título – já que o primeiro critério de desempate é o confronto direto e o primeiro jogo ficou 28×5 para o Crocodiles. O jogo acontece no dia quatro de junho, no campo do Imperial, em Curitiba, válido pelo grupo A.

O outro grupo segue em aberto: o Foz do Iguaçu Black Sharks viaja até a capital para enfrentar o Curitiba Brown Spiders. O time da fronteira só se classifica para a final da competição se vencer a partida. Caso contrário, a vaga para a decisão fica com o Brown Spiders. O Ponta Grossa Phantoms e o Curitiba Predadores já jogaram todas as partidas e agora focam os treinamentos no Torneio Touchdown – nome dado ao campeonato nacional – que começa em julho.

A classificação atual do campeonato é a seguinte:

Grupo A

Equipe

C

PM

PS

S

Cl

Coritiba Crocodiles

4-0

99

15

84

Curitiba Hurricanes

3-1

56

42

14

Ponta Grossa Phantoms

0-5

14

79

-65

Grupo B

Equipe

C

PM

PS

S

Cl

Curitiba Brown Spiders

3-1

144

43

101

Foz do Iguaçu Black Sharks

3-1

117

34

83

Curitiba Predadores

0-5

12

229

-217

C: Campanha; PM: Pontos Marcados; PS: Pontos Sofridos; S: Saldo; Cl: Classificação.

 

Informação: a equipe do Focas Esporte Clube estará em peso na grande final do Campeonato Paranaense de Futebol Americano, no dia 18 de junho, e mostrará para você tudo o que acontecerá na decisão do melhor time de futebol americano do Paraná!

*Agradeço à todos que corrigiram os erros através do comentários.

Por Rodrigo de Souza – @guinhosouza

Fotos: Eder Traskini

About Rodrigo de Souza

Imparcialidade não é aqui, chefe.

4 responses »

  1. Parabéns pelo texto,você tem os criterios de desempate do capeonato posta ai para que todos saibam como fuciona,e eu também,abraço

    Responder
  2. Leandro MOLINARI

    Duas correções:
    1 – Brown Spiders não está com 4×0, está com 3×1, pois foi derrotado pelo Crocodiles.
    2 – O Sharks não precisa de 10 pontos de diferença, pois o primeiro critério de desempate é o número de vitórias, então o vencedor ficará com 4×1 e o perdedor com 3×2, ou seja, a vitória simples dá a vaga para qualquer uma das equipes.

    Responder
  3. Dae, ótima matéria.

    Apenas uma correção. Pro Hurri, só interessava a vitória. Sem considerar o saldo de pontos.

    Antes de considerar o saldo de pontos como critério de desempate. Vale o saldo no confronto direto.

    Entao o hurri precisa vencer por uma diferença de 24 pontos se quiser ir pra final. Ja que o primeiro jogo deu 28 x 5 pro croco.

    Responder
  4. corrige a tabela ai 3×1 brown e não 4×0 abraço

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: