Aqui é Libertadores, meu amigo!

Posted on

Já dizia o velho sábio: “Libertadores não tem zebra, Libertadores não se pode bobear ou entrar de sapato alto que vai cair dele rapidinho”. Cruzeiro, Internacional, Fluminense e Grêmio sentiram iso na pele na noite desta quarta-feira, de cinzas para o futebol brasileiro. Libertadores é aquela competição que se joga com o regulamento embaixo do braço e o relógio a seu favor. É a competição da catimba, da provocação, e até mesmo da violência impune, como visto em Fluminense x Argentinos Jrs.

Cuca perde a cabeça e é expulso na eliminação do Cruzeiro

O prêmio de maior desastre da noite vai para o Cruzeiro. Favorito ao título, melhor time da primeira fase, dito até como “o Barcelona da América do Sul”, venceu fora de casa por 2×1. Perdeu Roger aos 30 do primeiro tempo, perdeu o jogo, perdeu a vaga e perdeu a cabeça. O técnico Cuca, que vinha fazendo um trabalho brilhante a frente do time mineiro, deu uma cotovelada no atacante Rentería nos acréscimos da partida. O Once Caldas confirma seu papel de carrasco tupiniquim e elimina mais um brasileiro.

Alejandro Martinuccio comemora seu gol

Não menos feio fez o colorado. Após empatar com o Peñarol, em Peñarol, pelo placar de 1×1, teve o Beira-Rio lotado (vale lembrar que o Cruzeiro jogou em Sete Lagoas, já que o Mineirão está em reformas), com uma torcida pulsante e conseguiu a proeza de perder o jogo em cinco minutos. O Peñarol veio quieto e repetiu o Maracanazo, calando o Beira-Rio e eliminando o atual campeão.

O atual campeão brasileiro tinha vencido por 3×1 em casa, placar considerado bom pelos jogadores e pelo técnico. Tão bom que o time resolveu nem ir para o segundo jogo. Um time medroso e sem concentração que não conseguiu segurar o Libertad em casa, com Enderson Moreira no comando, enquanto o ex-técnico, o tão criticado Muricy Ramalho, segurou o América-MEX num esquema parecido de retranca, porém muito mais bem armado. O clima nas Laranjeiras não era dos melhores e fica evidente que influenciou na partida de hoje, mas a tendência agora é apenas piorar. É bom arrumar a casa, Nense. O Brasileiro está logo aí…

O tricolor gaúcho precisava de um milagre, que seus torcedores realmente esperavam pela fama de imortal que o time tem. Mas digo novamente, “isso aqui é Libertadores”, e o Universidad Católica tem um ótimo time, enquanto o Grêmio jogava sem sete de seus titulares. O time gaúcho saiu para o jogo como tinha que fazer por ter perdido o primeiro jogo dentro do Olímpico por 2×1, mas esbarrou num time bem postado que jogou defensivamente para alcançar uma classificação que não vinha desde 1997. E conseguiu, num cruzamento no finalzinho da partida o Universidad Católica ainda carimbou a vitória.

Qual a lição que fica da noite desastrosa de 4 de Maio de 2011? A lição de que Libertadores se ganha na raça, se ganha no 1×0 em casa e segurar e fazer passar o tempo em território inimigo, se ganha agüentando pancada, pressão e arbitragem contra, pode não dar espetáculo mas que pelo menos saia classificado. Essa descrição do que é Libertadores te lembrou alguma coisa?

Muricy Ramalho e o Santos são o Brasil na Libertadores

É, Muricy Ramalho, tão criticado por ser retranqueiro estava certo, afinal de contas? Armou um time aos padrões da Libertadores e, não por acaso, é o único que ainda sonha com o título, ou estou enganado? Se formos olhar no retrospecto de Muricy em Libertadores a sorte está sorrindo para o técnico santista. Grêmio, Fluminense, Internacional e Cruzeiro foram os quatro times para os quais o técnico caiu na Libertadores, quando comandou times considerados grandes. O comandante santista nunca foi eliminado por times estrangeiros, apenas em sua passagem pelo São Caetano onde perdeu na final para o Boca Juniors.

Felipão ganhou duas Libertadores e, em ambas, não jogou bonito. Jogou na raça, fez com que jogadores cumprissem certas funções que normalmente não cumpriam e foi assim que conquistou um espaço na história de Palmeiras e de Grêmio. Afinal, o que interessa é a taça e não o futebol apresentado, isso é Libertadores.

Por Eder Traskini – @EderTraskini

Fotos: globoesporte.com

About Eder Traskini

Faço jornalismo na UEPG, como Mc'Donalds, tomo Coca-Cola, uso Nike e leio Veja. E não sou a favor do PT. Santista e amante de esportes.

One response »

  1. Falou tudo! Pra quem criticou que o Santos jogou errado, e não perdeu por sorte. Aí está o resultado, e pra “bom entendedor..” vocês já sabem. Muricy jogou certo, e hoje foi a maior prova que jogo de Libertadores não é ganho antes, mas sim DENTRO DE CAMPO. O Santos, que “penava” pra classificar, agora é o Favoritíssimo no torneio. Mas ainda restam 6 jogos.

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: